17 de ago de 2010

O suficiente para ser

Com sua roupa mais velha e o seu cabelo mais bagunçado, ele sentou-se sobre os degraus solitários daquela velha casa na qual vivia e pegou o seu livro, que por alguns meses havia estado escondido dentro de uma fenda do chão de madeira, já gasto da sua varanda. Este tinha uma capa preta meio surrada, caligrafada com algumas letras douradas, que o tempo se encarregou de borrar e deixa-las ilegíveis.

Durante algum tempo permaneceu sentado, imóvel, contemplando o seu livro fechado. Ao julgar pelo vazio dos seus olhos, acredito que lembranças estavam sendo recordadas e postas em um presente que ele próprio parecia não fazer parte, renega-se talvez. Ou quem sabe, só estava ali olhando para o nada, o que é bem provável, já que eu o havia pego diversas vezes assim. Finalmente resolveu o abrir e para meu espanto as páginas estavam todas em branco. Segurei um suspiro abafado para que ele não desconfiasse da minha presença ali, quase que sem propósito nenhum, apoiada em um cerca e com um livro na mão. Hão de concordar, portanto, com o meu desapontamento e o gasto desnecessário da minha atenção em algo tão sem sentido. Eu poderia ter avançado mais um capítulo de Clara dos Anjos, mas ao contrário disso, decidi observar um velho coitado folheando incessantimente seu livro vazio.

Em um impulso desnecessário, e um interesse fora do normal em algo que não era da minha conta, levantei-me - sem me preocupar o quão sujo estava o meu vestido floral - e fui decida e pronta para perguntar qual era o problema daquele cara e o que ele achava que estava lendo em um livro em branco. Eu me coloquei de pé na sua frente e quando estava abrindo a minha boca para começar o meu falatório, ele levantou seu olhar, me olhou nos olhos e disse:

- Engraçado como depois de 50 anos de vida, não consegui escrever uma única só palavra sobre mim. Mais estranho que isso, é o fato deprimente e algumas vezes consolador de que não sou o único. - pausou enquanto eu sentava ao seu lado. - Se eu te perguntasse qual foi o dia mais feliz da sua vida, será que você me responderia algo suficientimente maravilhoso e satisfatório? Algo que não precisasse se comparado com os seus dias mais tristes para se tornar algo especial? Pois é, é como eu sempre digo: Não importa o quanto você faça e viva, tudo nunca é o suficiente.

30 comentários:

verônica hiller. disse...

a insatisfação é caracteristica principal do ser humano, não há muito o que se fazer, sempre estaremos atrás de alguma utopia. e você conseguiu colocar isso de um jeito singular, leve e profundo, adorei (:

Janaína S. disse...

De uma sensiblidade incrível.
Gostei Muito! =)


Volte mais vezes ao MAIS UM!
Beijo.

Fernando disse...

Olá Mayana

Me sinto assim direto. As vezes um dia maravilhoso e outros que são tão vazios que desejaria não tê-los vivido. Mas a vida é assim, vamos colecionando momentos, nem sempre bons ou ruins, mas momentos.
bjssss
fernando dos santos

inês disse...

natural, tens um blog lindíssimo ö
beijinho *

JoanaaRochaa disse...

muito obrigada querida !
- vou seguir

Gabriela disse...

Os Oasis também são uma banda muito boa :)
Gostei deste post*

Monique Premazzi disse...

Seu jeito de escrever é incrível, já disse isso? Tão bom ler seus textos, adoro quando venho aqui.

Esse texto ficou muito intenso. E a vida nunca é suficiente para nós.

Lindo mesmo.

;*

catraia disse...

sem margem de dúvida :)

Clara disse...

Olá Maryana, primeiro amei seu blog, muito bonito e leve de ver.

e quanto ao texto fantastico, asbe as vezes me sinto assim, igual ao senhor do texto, sem saber dizer uma palavra sobre mim, e sempre buscando algo. Mas quanto a busca isso é do ser humano, a incançavel busca por algo que talvez quando se ache, nem seja tão importante.
beijo grande

Clara disse...

ah! esqueci...
pedindo licença para te seguir menina.

Amêndoa disse...

maldito...

MARGARIDA BELOTO disse...

blog lindo *.*
é, às vezes é melhor deixar ir, por muito que custe $:

Catarina disse...

Realmente, nem de joelhos! Vai ter que fazer muito para que eu o possa desculpar, se isso algum dia for possível... Mas só assim vai aprender! É pena é que seja da pior forma...

luna disse...

o que é horrível linda?

Renata disse...

porque nós queremos sempre mais do que um simples 'suficiente'.

MARGARIDA BELOTO disse...

selo para ti no meu blog (:

Anna Beatriz disse...

Perfeito!
beijos!

Carolina Hermanas disse...

Que lindo,menina *_*
É verdade,viver nunca será o suficiente para nós que gostamos de aproveitar cada momento como se fosse o único!

-

Beeijão :)

Marcela disse...

Nossa, adorei o post flor *_*
Muito realista
bjs

Daniela Filipini disse...

Incrível! O que você escreve está sempre entre o que mais gosto de ler!

Daniela Filipini disse...

Incrível! O que você escreve está sempre entre o que mais gosto de ler!

тαуиα Ѽ disse...

Lindo o texto (:

Larissa disse...

Por mais que o tempo seja grande, a gente nunca viveu o suficiente.
Há sempre alguma coisa nova para viver. Por isso é melhor aproveitar cada momento da vida como se ele fosse o último.

Adorei!

Gabriela Furtado disse...

Issodo ser humano ás vezes é meio deprimente,não ahcas? Querer sempre aquilo que não pode ter ou que não tem, nunca se satisfazer com o que lhe é dado...
Adoooreeei seu post
beijos:**

Anna Beatriz disse...

Lindo o texto =D

Loize Carol disse...

Esse texto me deixou sem palavras. Estasiada.

' káh. milloti ' disse...

Insatisfação, eh uma palavra mais do presente na vida pessoal e social de todos, nao dá para conseguir tudo que quer, e mesmo que se garanta, logo o tão desejado, já não é mais o que desejava. Adorei o seu texto. Beijos

Daniela Filipini disse...

Ei, cadê você?

Jυℓyαnα ツ disse...

O tudo algum dia é suficiente para alguém?
Mesmo quando o alcançamos raramente o notamos e continuamos a procurar...




;*

Aldenir disse...

e esse "nunca é o suficiente..." torna a vida muito mais interessante e instigante...
parabéns pelo blog. Estou seguindo! se puder e quiser siga o meu... bjos

http://vernaalde.blogspot.com/

 

Blog Template by YummyLolly.com