21 de jul de 2010

Cravado

Era dia comum. Uma brisa corria de forma lenta, mas extremamente viva, se fazendo sentir até pelas faces mais insensíveis. O sol ocultava-se por detrás das nuvens rarefeitas que maquiavam o azul desbotado do céu. E eu, sentia cada centímetro do dia, acolhida sob um árvore da rua.

Ao contrário do que se possa imaginar, sua copa não apresentava muitas folhas, tinha uma expressão mirrada, meio amarelada, por outro lado, seu tronco era vistoso, com alguns acúmulos de seiva aqui e ali. Também era bastante largo. Se eu tivesse pensado naquele momento em abraçá-lo, com certeza não conseguiria tocar as mãos.

Porem, logo o meu momento de divagação foi quebrado, quando ao correr os olhos pela árvore, avistei na parte inferior símbolos cravados, que mais tarde conclui serem iniciais. Elas não me pareciam recentes, uma vez que vivemos em tempos onde provas de amor não são mais necessárias. Mas me proporcionaram reflexões tão novas e inusitadas, quanto um livro utópico poderia.

"Quem ama guarda, retrata, canta, escreve, delira, esquece, relembra, gargalha e tem vontade. Rascunha letra escarlate e não deixa para as lembranças o sentimento que se sente ao ver alguem. Porque apesar de se querer provas, o que realmente importa é o que se crava no peito."

E eu cravei isso em mim.

13 comentários:

Vanessa Furtado disse...

No final, o que conta não se consegue contar ....

Que bom, este passeio des - contando. Parabéns pelo blogue * ;)

Camila disse...

que lindo isso:

"Quem ama guarda, retrata, canta, escreve, delira, esquece, relembra, gargalha e tem vontade. Rascunha letra escarlate e não deixa para as lembranças o sentimento que se sente ao ver alguem. Porque apesar de se querer provas, o que realmente importa é o que se crava no peito."

salvei no meu pc *--*
vc qm escreveu?vou colocar no meu blog

Jaci Macedo disse...

Simplesmente lindo. A verdade é essa; o que fica conosco - cravado - é o que realmente importa, o que permanece.

beijos, coração.

Jaci Macedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Por que você faz poema? disse...

Cravo no peito a poesia.

Daniela Filipini disse...

Lindo!!

catraia disse...

oh, obrigada! :) gostei muito do teu blog, vou seguir*

belw disse...

Nossa, realmente lindo, salvei aqui

Vanessa Monique disse...

Que lindo menina,
adorei.Quem ama crava mesmo,não importa aonde.
Tenha um lindo final de semana.
@vanimonique
:*

Carolina Hermanas disse...

Que lindo :)
AAAH, eu queria um namorado para escrever nossas iniciais do nome numa árvore *_*.AHAHAHAH!

Ameeei,sério.Seus textos são lindos deeeemais :D

-

Beeijinhos!

Gabriela Furtado disse...

Sentimentos são raízes, não?
lindo texto
beijos

@juusep disse...

Tantas coisas que poderíamos ter feito.

Daniela Filipini disse...

Sim, o mais importante é nós sabermos que mesmo que o tempo passe, o sentimento permanece, como tatuagem.

 

Blog Template by YummyLolly.com